As Chamas da incompetência, da Crueldade e da omissão reduzem a cinzas a vida e os sonhos da nossa garotada

Mar 17, 2017

36 meninas morreram queimadas num incêndio que destruiu um abrigo destinado ao acolhimento de adolescentes. A tragédia aconteceu na Guatemala no último dia 8 de março. Além das vítimas fatais, 24 meninas ficaram gravemente feridas, algumas delas com queimaduras de terceiro grau. O incêndio teria começado numa sala de 16 metros quadrados onde 52 adolescentes haviam sido trancadas para serem controladas após uma rebelião. Segundo relato dos funcionários as próprias meninas teriam colocado fogo em colchões para denunciarem o tratamento desumano recebido na unidade.

 

Administrada pela Secretaria de Bem-Estar Social da Presidência, a instituição abriga, por ordem judicial, menores de 18 anos vítimas de violência doméstica, de algum delito ou que foram resgatados das ruas, entre outros motivos. O centro tem capacidade para 400 adolescentes, mas abriga 800. Há tempo a instituição era alvo de denúncias por maus tratos e violências sexuais contra os internos, sobretudo contra as meninas que estavam abrigadas para serem protegidas das violências sofridas em casa e na rua. Eis aqui uma enésima prova da incompetência, omissão, irresponsabilidade e crueldade com que as instituições públicas, salvo raras exceções, tratam nossas crianças e adolescentes. Tragédias como essa podem ocorrer a qualquer momento também no Brasil, onde, sobretudo nas instituições destinadas a acolher adolescentes, nos confrontamos ainda com o descaso do poder público, a falta de investimentos, o despreparo de boa parte dos funcionários, a insensibilidade da sociedade, a hipocrisia de boa parte dos meios de comunicação social e a pouca incidência dos órgãos fiscalizadores quanto à reversão desse dramático quadro. As meninas da Guatemala estavam abrigadas por determinação judicial. Haviam sido colocadas naquela unidade com a finalidade de serem protegidas. Foi para “o bem delas” que aquelas mesmas instituições que nunca prestaram ouvido ao clamor delas e foram incapazes de garantir-lhes os direitos essenciais no momento oportuno, as internaram mesmo sabendo que aquela instituição não tinha as mínimas condições de devolver àquelas meninas a alegria de viver com dignidade.

 

Será que acredita mesmo no bem-estar dos/das adolescentes quem, pelo mundo afora, inclusive no Brasil, decide interná-los em instituições dessa laia?

 

Espaços como estes só servem para carbonizar vidas, incinerar sonhos e matar a esperança. A história tem demonstrado que a internação em masmorras, esse é o nome que melhor descreve as nossas unidades socioeducativas, não recupera quase ninguém.Os poucos resultados positivos são fruto da resiliência da própria garotada. Passa o tempo e a história se repete. Muda o país, mas o descaso é o mesmo. As poucas conquistas não conseguem apagar o fogo que incinera prematuramente os sonhos dos meninos e das meninas empobrecidos violados em seus direitos. O dia 8 de março continua marcado pela violência. Em 1911, cerca de 130 operárias morreram queimadas numa fábrica têxtil de Nova York, nos Estados Unidos. Em 2017, 36 meninas morrem carbonizadas numa instituição ironicamente chamada de “Hogar Seguro”. Na porta dessa instituição e de todas aquelas que lhe são parecidas cabe bem o texto que o poeta Dante afixou na entrada do inferno: “Ó vós que entrais, abandonai toda esperança! “.

Saverio Paolillo (Pe. Xavier)

Missionário Comboniano, nasceu em Barletta na Itália. No Brasil, iniciou suas atividades em São Paulo e em 1998 foi transferido para a Sera (ES), onde teve fundamental importância na criação da Rede Aica.

Conheça a Rede

Agende uma Visita
Venha conhecer esta rede de Ação Solidária.
SEDE: Rede Aica - Rede de Atendimento Integrado à Criança e ao Adolescente

Endereço: Rua João de Barro, 144 - Novo Horizonte, Serra|ES

Telefone: (27) 3338-5575

INSCREVA-SE

Cadastre seu email e receba nossos informativos

Depoimento

"Pude testemunhar o quão organizado é o Projeto Cidadão no bairro de Novo Horizonte. Sinceramente, fiquei encantado!." Vereador Roberto Catirica

Siga-nos

Top